CRISE POLÍTICA em Biritiba Mirim dura mais de um ano

 

Desde que assumiu a prefeitura de Biritiba Mirim o prefeito Jarbas Ezequiel de Aguiar, PV vinha sendo alvo de muitas críticas pela população e principalmente pelos vereadores da oposição por manter na prefeitura um grupo ligado a uma facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios.

 

Mesmo assim o prefeito Jarbas não se importando com as críticas da população e dos vereadores manteve esse grupo até meados de 2018 quando se viu acuado pelo MP dispensou todos e fez uma troca em todo seu secretariado.

 

Mas para que tudo isso viesse acontecer o prefeito  Jarbas passou por duas CEIs na câmara municipal onde saiu vitorioso devido ter o apoio de sua base que foi fundamental para que não fosse afastado.

 

A primeira CEI teve sua votação em 22 de  novembro de 2017 quando após a câmara municipal receber denúncia do MP sobre o envolvimento do prefeito Jarbas com a facção criminosa, foi montada uma Comissão Especial de Inquérito, que teve como presidente o vereador Jorge Mishima, PSDB.

 

Por 8 votos a 5 o parecer da Comissão foi rejeitado e as denúncias do MP foram arquivadas, sendo que a base do prefeito Jarbas na época votou contra a CEI e era necessário 9 votos para o afastamento do Chefe do Executivo.

 

O mesmo placar  (8 a 5)  se repetiu na CEI da saúde que foi rejeitada, tendo a base do prefeito Jarbas votado novamente contra o parecer da Comissão.

 

Entre maio e agosto de 2018 muitas outras denúncias contra a má gestão do prefeito Jarbas foram aparecendo e os vereadores sempre denunciando  e falando na tribuna da situação em que se encontrava a cidade.

 

Em agosto um vídeo em que o prefeito Jarbas Ezequiel de Aguiar, PV aparece distribuindo maços de dinheiro aos vereadores José Rodrigues Lares, PV (Zé do Brejo); Paulo Rogério dos Santos, PTB (Paulinho da Júlio) e Eduardo Melo, DEM, causou indignação a população de Biritiba Mirim que pediu providências urgentes por parte da presidência da câmara municipal.

 

Foram realizadas duas sessões extraordinárias onde foi afastado os vereadores que apareceram no vídeo e em outra sessão o prefeito Jarbas, mas que recorreu no TJ de SP e conseguiu uma liminar e permaneceu no cargo até a data de 13/09.

 

Os vereadores também conseguiram uma liminar nesta semana e irão assumir seus postos na sessão ordinária da próxima segunda-feira, 17 de agosto.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload