CRISE POLÍTICA EM BIRITIBA MIRIM: MP volta afastar vereadores que receberam maços de dinheiro de prefeito

 

A Vara da Fazenda Pública de Mogi das Cruzes, SP voltou afastar os vereadores José Rodrigues Lares, PV; Eduardo Melo, DEM e Paulo Rogério dos Santos, PTB que aparecem em vídeo recebendo maços  de dinheiro do também afastado prefeito Jarbas Ezequiel de Aguiar, PV.

 

O afastamento também se estendem a procuradora da câmara municipal de Biritiba Mirim, Frida Bichler Mastrange que segundo o MP praticou atos de improbidade administrativa.

 

A procuradora da câmara estaria se valendo de eu cargo para favorecer determinados vereadores.

 

Ainda segundo o MP a procuradora Frida estaria organizando reuniões com os vereadores processados (acusados de recebimento de suborno) para orientá-los.

Tais orientações seriam transmitidas por mensagens de Whatsapp nas quais inclusive a mesma admite com fidelidade ter perdido o prazo recursal para favorecer os três vereadores.

 

O juiz Dr. Bruno Machado Miano determinou na segunda-feira, 15 de abril a quebra de sigilo bancário dos três vereadores José Rodrigues Lares, “Zé do Brejo”, PV; Eduardo Melo, DEM e Paulo Rogério dos Santos, “Paulinho da Júlio”, PTB e do prefeito afastado Jarbas Ezequiel de Aguiar, PV referente aos anos de 2017 e 2018.

 

Os vereadores e o prefeito afastado Jarbas tiveram seus bens indisponibilizados no limite de R$ 180 mil (valor das propinas) acrescido de multa civil (2 vezes R$ 180 mil – R$ 360 mil) o que resulta  no valor de R$ 540 mil.

 

Segundo O MP as propinas eram pagas aos vereadores como forma de garantir o apoio deles na mais diversas votações, principalmente nos dois processos de cassação pelos quais respondeu o prefeito afastado Jarbas (nomeado de integrante do PCC para o cardo de Secretário de Governo, já judicialmente condenado e superfaturamento de contrato de festão da saúde, pelo qual foi judicialmente afastado do cargo).

 

Também houve colheita de provas de testemunhas protegidas que o prefeito afastado Jarbas pagava mensalmente aos vereadores quantias em dinheiro em troca de apoio parlamentar.

 

Tais valores eram na base de R$ 5 Mil e foram pagos a partir de outubro de 2017, quando  houve a abertura da primeira CEI até setembro de 2018 (mensagens obtidas através de interceptações telefônicas)  totalizando R$ 60 mil por vereador e  um total de R$ 180 para os três.

 

O presidente da câmara de Biritiba Mirim assim que for notificado pelo MP deverá dar posse aos suplentes sendo eles: no lugar do vereador Paulinho da Júlio tomará posse o suplente Valter Antônio de Miranda, PTB (Valter da Água); no lugar do vereador Eduardo Melo, tomará posse, o suplente Fábio Rogério Barbosa, DEM e no lugar do vereador “Zé do Brejo” a suplente Zuleika Gertrudes de Aguiar Passos, PV que é irmã do prefeito afastado Jarbas Ezequiel de Aguiar, PV.

 

Vamos aguardar nesta quarta-feira o desenrolar de mais esse capítulo da crise política na cidade de Biritiba Mirim que deve finalmente ter seu desfecho por completo com todas as evidências apontadas pelo MP.

 

Também  a população quer saber se a suplente de vereadora Zuleika Gertrudes de Aguiar Passos, PV irá mesma tomar posse como vereadora visto a tantos protestos da população, caso isso não venha ocorrer o próximo suplente na lista é Vagner Aparecido da Cruz.

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload