CEJUSC de Salesópolis realiza o 1° workshop sobre mediação escolar

 

 

No ultimo sábado, 20 de julho, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca de Salesópolis realizou o 1º Workshop sobre mediação escolar. O evento foi sediado pela ONG – Caminhando Juntos e apadrinhado por diversas pessoas da comunidade da Estância Turística de Salesópolis.

 

O workshop teve cunho social a fim de trazer reflexão sobre a importância do mediador escolar, bem como, da participação de toda a comunidade no processo de pacificação social e, consequentemente, no processo de educação.

 

O mediador escolar atua gerenciando conflitos que ocorrem em ambiente escolar e, principalmente, na prevenção de conflitos que estão além das escolas e que refletem na educação de forma direta e violenta, muitas vezes.

 

Atualmente, vários são os casos de violência, massacres nas escolas, aumento dos índices de suicídio e automutilações, drogas cada vez mais presentes na vida dos jovens e adolescentes. Infelizmente, estes são casos que também fazem parte da realidade da cidade de SALESÓPOLIS e que por esta razão, o assunto deve ter visibilidade perante à sociedade para que todos participem ativamente de ações preventivas, compreendendo que não apenas às escolas e às pessoas ligadas à educação competem a reflexão,  responsabilidade e comprometimento com a saúde e educação de nossas crianças e jovens e mesmo com a paz social.

 

O Workshop foi destinado à Diretores, Professores, Orientadores Pedagógicos, Conselheiros Tutelares, Assistente Social, Defensores dos Direitos da Criança e do Adolescente, e a todos os cidadãos interessado em aplicar a mediação como ferramenta do diálogo.

 

A reportagem do Jornal do Povão entrevistou alguns participantes da Oficina de Pais e Filhos que falaram sobre a importância do evento:

 

- Sandra de Fátima da Silva:

 

Eu como mãe, acho importante a participação dos pais dentro da escola, pois vemos que não é isso o que acontece. Por exemplo, quando os pais são chamados para as reuniões escolares são poucos os que comparecem, principalmente os pais dos alunos que tem dificuldade, que tem algum tipo de problema, não comparecem. Então temos que buscar uma forma dos pais se conscientizarem da pertença deles, a pertença da sociedade, do trabalho em conjunto.

 

- Ana Maria Gonçalvez Cursino dos Santos – Profa. Aposentada a 34 anos, atuou na rede de ensino em escolas públicas:

 

Eu trabalhei na área da educação durante 34 anos antes de me aposentar e agora fora dessa área eu estou vendo a dificuldade que as escolas têm em lhe dar com certos alunos, tanto em questão da violência como com outras coisas que entram na escola, os professores, a direção a escola, como um todo sendo, massacrados como vemos em vários lugares, e isso machuca.

 

E quando o CEJUSC nos ofereceu esse Workshop, eu e acredito que os todos os presentes, vieram para que possamos ser mediadores, ir até a escola, trabalhar com essas crianças, ajudar os pais, os professores, a sociedade como um todo.

 

Mas durante o workshop nós encontramos uma entrave muito grande de fazer um curso para que possamos nos tornar mediadores, assim que finalizarmos o workshop como manter essa ideia, onde procurar? E nos informaram que podíamos dar continuidade pela secretaria de educação, da Prefeitura, com o apoio dos vereadores, e acredito que a união pode fazer a ideia acontecer.

 

Digo por mim, mas acredito que houve uma frustração entre os participantes, por esse impasse que chegamos já no inicio do workshop, porque queremos dar continuidade a esse momento, queremos nos tornar mediadores da educação escolar.

 

- Marco Antônio Cáfaro – Presidente do Conselho Municipal de Defesa Dos Direitos da Criança e Adolescente; Diretor Administrativo Santa Casa Salesópolis:

 

Nós como pessoas interessadas no assunto, logo após o fim do workshop realizado pelo CEJUSC, queríamos saber como dar continuidade a essa ideia, como podemos chegar mais próximos dos responsáveis pelas crianças e adolescentes, principalmente as que estão em estagio escolar, para que possamos entender como esta a situação nas escolas, na questão de que se a criança tem o seu direito, se esta cumprindo o dever como estudante, então seria muito importante chegarmos até a secretaria de educação, dos diretores das escolas para que possamos nos inteirar da situação para que possamos ajudar, pois se estamos aqui é porque temos essa preocupação.

 

Agora o importante é irmos até as escolas e termos uma visão mais prática das escolas, e através do CEJUSC, que deu todo o apoio, nós possamos ajudar até em um caso de violência da criança no seu ato de direto como estudante.

 

Então estamos aqui para entender melhor essa questão da mediação escolar, e levar ate as escolas à importância de ter um mediador na unidade escolar, dentro do tempo escolar da criança.

 

Abracei a ideia junto com os demais responsáveis pelo workshop justamente por estarmos preocupados com essa situação, para que aja uma escola boa para alunos, não estamos questionando a forma de ensino dentro das escolas, estamos questionando o bem estar da criança dentro da escola, o que ela traz de casa para dentro da escola, e acredito que seja muito importante a gente entender e tentar mediar se houver algum confronto, algum conflito, e essa é a nossa intenção, e eu como presidente do conselho vou tentar passar para as escolas a importância dessa mediação, visto os casos de  violência que vemos muito nas escolas, usando a comunicação não violenta, que pouco se fala, que é o bullying.

 

- Maria Helena Almeida de Moraes - Gestora- Chefe de Seção Judicial:

 

Eu quero agradecer em nome do CEJUSC, a presença e a participação e a aliança que foi formada hoje, com as instrutoras Fabíola, Adriana e Marcia, bem como com todos os participantes.

 

Foi um workshop bem legal, acho que o objetivo do CEJUSC cidadão,  considero que foi atingido, que foi provocar, incomodar, colocar as pessoas para refletirem juntas sbre o que eu posso fazer, que parcerias a gente pode formar, para que a gente possa sempre estar cainhando para algo tão sonhada, falada cultura da paz.

 

Agradeço a todos que estiveram presentes e com certeza, em nome do CEJUSC, da Dr. Janaína Machado Conceição, o CEJUSC se coloca sempre em parceria com vocês, com as autoridades que estão sendo solicitadas em participar dessa jornada que se inicia, é um caminho árduo a ser construído, mas é um caminho lindo, pois quando falamos de educação a gente fala com certeza em paz.

 

Então quero agradecer imensamente a todos, e mais uma vez reforças que o CEJUSC cidadão tem esse proposito, trabalhar pela cultura da paz, então estamos mais do que a disposição.

 

O Workshop foi conduzido pelas Instrutoras:

  • Adriana Prado Vaz, graduação em Direito pela FMU/SP Faculdades Metropolitanas Unidas de São Paulo ; Extensão em Arbitragem pela PUC-SP; Pós-graduação em Meios adequados de solução de conflitos pela ESA/SP; mediador e conciliadora atuante em Câmaras Privadas e Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo; mediadora escolar atuante em escolas públicas e privadas; mediadora escolar internacional e, a interdependência entre “compliance” e mediação.

  •  

  • Fabiola M. P. Mestriner, gestora de emoções e conflitos nas Escolas Publicas e Privadas de São Paulo, Mediadora Privada registrada no Cadastro Nacional de Mediadores Judiciais do CNJ e do Tribunal de Justiça de São Paulo, certificada de acordo com a Resolução 125/2010 do CNJ pela Escola Superior de Advocacia, Leader Coach (Personal e Profissional Coaching) certificada e membro da Sociedade Brasileira de Coaching, Facilitadora de Justiça Restaurativa pela EPM (Escola Paulista da Magistratura), pós graduada em Economia na USP e Gestão Educacional pela IBMEC, graduada em Processamento de Dados e Administração com ênfase em Comercio Exterior, professora universitária, gestora de vendas e consultora empresarial, membro da Associação Brasileira de Direito Educacional (ABRADE), membro consultivo das Comissões de Direito Sistêmico e Justiça Restaurativa da OAB/Jabaquara

  •  

  • Marcia Mendes Moreira, Coordenadora Pedagógica, com trinta anos de experiência no magistério. Membro da Comissão de Mediação de Conflitos da DREF/B. Ministra cursos e workshops em instituições públicas e particulares sobre Mediação de Conflitos no ambiente escolar. Supervisora Escolar por cinco anos na região da Freguesia/Brasilândia. Participa do Grupo Metanóia que tem como objetivo levar ao conhecimento da população informações sobre mediação e conciliação.

Participaram do evento:

 

- Alanis Ayumi Ota – Estudante e estagiária de nível médio do CEJUSC

 

- Ana Maria Gonçalvez Cursino dos Santos – Profa. Aposentada a 34 anos, atuou na rede de ensino em escolas públicas                                                                                                                                                                                                                                      - Camilla de Souza Melo – Bacharel em Direito; conciliadora CEJUSC São Miguel Paulista

 

- Deolinda Madalena dos Santos – Psicopedagoga

 

- Enéas Alberto de Carvalho –  Coronel da Policia Militar, bacharel em Direito; Instrutor do CNJ e Mediador/Conciliador CEJUSC Arujá

 

- Isabele Cristine da Silva – Estudante de Pedagogia

 

- Kely Cristiane Miranda – Administradora e Conciliadora

 

- Marcelino Oliveira Prado Junior – professor da rede de ensino municipal e estadual

 

-Marco Antônio Cáfaro – Presidente do Conselho Municipal de Defesa Dos Direitos da Criança e Adolescente; Diretor Administrativo Santa Casa Salesópolis (DEPOIMENTO)

 

- Rita de Cássia Lopes Alves – Assistente Social – C.R.A.S.

 

-Sandra de Fátima da Silva – Estudante de Pedagogia

 

-Silvana Silva Bigaski – Professora da rede estadual e municipal

 

-Tânia Mara Almeida de Sousa - Pedagoga/ Professora de Educação Infantil da Prefeitura de São Paulo - Psicóloga/ Psicopedagoga.

 

Ao final, todos solicitaram o apoio do CEJUSC de Salesópolis para continuar oferecendo espaços de diálogo e reflexão a fim de provocar em toda sociedade atitudes proativas e positivas para que todos juntos possamos construir a VERDADEIRA PAZ SOCIAL.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload