Iniciativas do CONDEMAT na área de resíduos são destaques em workshop promovido pelo Estado

30/08/2019

 

O CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê foi um dos destaques do workshop “Consórcios intermunicipais para gestão e gerenciamento de resíduos sólidos: experiências e alternativas”, promovido pelo Comitê de Integração de Resíduos Sólidos (CIRS) da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) na quinta-feira, 29 de agosto. A Região é uma das poucas que já trabalha em parceria com o Estado na elaboração do Plano Regional de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos e teve a oportunidade de compartilhar as ações, desafios e metas na busca de uma solução que atenda as 11 cidades.

 

Com o maior contingente populacional da Região Metropolitana de São Paulo, depois da Capital, o Alto Tietê registra uma produção diária de 3 mil toneladas de resíduos/dia sendo que, atualmente, todas as cidades fazem a destinação final em aterros de outras localidades, o que representa um grande gasto para as prefeituras. 

 

O prefeito de Guararema, Adriano de Toledo Leite e o coordenador da Câmara Técnica de Gestão Ambiental, Daniel Teixeira de Lima, representaram o CONDEMAT. O Alto Tietê busca ser a região piloto do Estado a contar com um novo modelo de destinação de resíduos sólidos em São Paulo. No atual momento, consórcio e Estado trabalham no diagnóstico das cidades.

 

“Fizemos questão de trazer as experiências do Consórcio em diversas áreas e agora nossa ênfase vai se dar na solução correta para a destinação dos resíduos sólidos urbanos para todos os municípios participantes”, afirmou o prefeito, ao citar o protocolo de intenções firmado com o Estado para a elaboração do Plano Regional e os avanços na coleta seletiva e compartilhamento de ações entre as cidades.

 

“A gente vem fazendo um diálogo técnico político inovador, ao invés de confrontar, estamos unindo a técnica para desenvolver políticas públicas importantes para a região do Alto Tietê”, explicou Lima.

 

O evento da SIMA teve a participação do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste), Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos (Consimares), Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema (Civap) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT).

 

“Nosso objetivo é conhecer as experiências dos consórcios e arranjos regionais existentes que já desempenham um trabalho com resíduos sólidos para formatar o desenvolvimento futuro da gestão e gerenciamento dos resíduos no Estado de São Paulo”, explicou o coordenador do CIRS, José Valverde.

 

Ao longo do encontro, os participantes puderam questionar, esclarecer dúvidas, interagir e dar opiniões sobre as apresentações.

 

“Os aterros possuem tempo de vida útil, precisamos somar os esforços com prefeitos, iniciativa privada e sociedade para enfrentar esse desafio. E o caminho passa pelos consórcios regionais”, afirmou o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

 

Participaram da mesa de abertura do workshop, o coordenador do GT ll, Wagner Cabelho, o diretor-presidente da ABRELPE, Carlos Silva Filho, a coordenadora de saneamento da SIMA, Wilma Gonçalves, o coordenador do grupo Gestor do CIRS, Ivan Mello e a diretora de licenciamento da Cetesb, Zuleica Lisboa.

 

“Desde que a gente começou a discutir o tema resíduos sólidos, mais de vinte anos atrás em São Paulo, assistimos ao panorama da evolução deste assunto que em 1997 mostrava 95% dos aterros em situação inadequada e hoje, de acordo com o último Relatório de Resíduos Sólidos da Cetesb, existem apenas 28 municípios em situação irregular”, concluiu Zuleica.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload