Design sem nome (1).png

Jornal do Povão

Aqui Você Faz a Diferença

  • CONDEMAT

Alteração no critério de notificação amplia casos suspeitos de coronavírus, diz CONDEMAT


A coordenação da Câmara Técnica de Saúde do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê esclarece que o aumento no número de casos suspeitos de coronavírus é decorrente da alteração no critério de notificação, com a ampliação do número de países com transmissão da doença.

Antes, apenas os pacientes com sintomas associados ao coronavírus que estiveram na China ou tiveram contato com alguém de lá eram notificados como casos suspeitos pelos serviços de saúde. Hoje, a mesma conduta vale para quem esteve ou manteve contato com pessoas de mais de 60 países, incluindo nações da Europa para onde há uma rotina maior de viagens de brasileiros.

“Essa alteração, consequentemente, amplia o número de notificações de casos suspeitos, inclusive aqui no Alto Tietê. Mas isso não quer dizer que a doença está alastrada e há motivos para pânico”, enfatiza a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do CONDEMAT, Adriana Martins. “É preciso, sim, manter o alerta, seguir com as condutas determinadas para os casos suspeitos e orientar muito a população sobre os cuidados de higienização”, acrescenta.

Até a última segunda-feira, o Brasil tinha 433 casos suspeitos de coronavírus, sendo 2 casos confirmados, 162 descartados e os demais aguardando resultado. O Estado de São Paulo é o que tem maior número de notificações, sendo 163 casos suspeitos, 48 descartados e 2 confirmados – os únicos do Brasil, de acordo com estatísticas do Ministério da Saúde (http://plataforma.saude.gov.br/novocoronavirus).

Nas 12 cidades que integram o CONDEMAT foram 5 notificações de casos suspeitos pelas Secretarias Municipais de Saúde – 2 em Mogi das Cruzes (1 já descartado) e 3 em Suzano.

“O trabalho com a população, assim como as notificações, é feito pelos municípios. O CONDEMAT, através da Câmara Técnica de Saúde, monitora a situação regional e atua no apoio às prefeituras, assim como na orientação à população”, explica a coordenadora Adriana Martins. “Neste momento, estamos fazendo gestões para corrigir a divergência nas estatísticas de casos porque o IAL (Instituto Adolfo Lutz) divulga os resultados primeiro para o Estado e depois para os municípios. O ideal é que a divulgação seja concomitante”, afirma.

Os sintomas do coronavírus são febre, tosse e falta de ar. A suspeita é considerada quando esse quadro está associado à viagem ou contato do paciente com pessoas que estiveram em algum dos países com transmissão da doença.

Em caso de dúvidas, a orientação é sempre procurar o serviço de saúde. Além disso, é recomendado que pacientes com quadro gripal evitem locais fechados ou com muitas pessoas; protejam a boca e nariz em caso de tosse ou espirro; e usem lenço descartável. Para a população em geral, o cuidado indispensável é a higienização frequente das mãos.

3 visualizações