Design sem nome (1).png

Jornal do Povão

Aqui Você Faz a Diferença

  • CONDEMAT

Governador pede ajuda dos municípios para controlar avanço do coronavírus


O prefeito Marcus Melo, presidente do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê, participou na manhã de hoje (05/03) de uma reunião com o governador João Doria e o secretário estadual de Saúde, José Henrique Germann, sobre o coronavírus (COVID-19). No encontro que teve a presença de vários prefeitos paulistas e secretários municipais, o governador pediu a ajuda dos municípios para controlar o avanço da doença e também apresentou o plano de medidas de prevenção adotado.

“A prevenção é a ação mais recomendada contra o coronavírus e o governador solicitou o apoio dos municípios em difundir isso para a população. No Alto Tietê as prefeituras têm atuado fortemente na conscientização sobre os cuidados no dia a dia, assim como no treinamento das equipes de saúde para a identificação de casos suspeitos”, ressaltou o presidente do CONDEMAT.

A Região contabiliza cinco casos suspeitos de coronavírus – 3 em Suzano e 2 em Mogi -, sendo que dois deles já foram descartados. No Estado de São Paulo são 135 notificações, com os únicos três casos confirmados da doença no Brasil.

O governador garantiu aos prefeitos que não há motivos para pânico e interrupções de atividades e também disponibilizou aos municípios um guia com informações de conscientização e prevenção ao coronavírus, que pode ser baixado gratuitamente no hotsite www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus ou via QR Code e impresso.

“Os gestores de saúde do Alto Tietê estão em contato permanente entre si e também com acesso integral ao Comitê de Operações Emergenciais (COE) para a rápida tomada de providências se necessário. Hoje, a principal preocupação dos municípios é a disponibilidade dos equipamentos de proteção para as equipes de saúde e já foi solicitado um apoio ao Estado para isso”, disse a coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do CONDEMAT, Adriana Martins, ao esclarecer que a conduta estabelecida para o coronavírus exige o uso de máscaras, luvas e aventais no atendimento de qualquer paciente com sintomas respiratórios, sendo que para determinados procedimentos é recomendado máscaras de proteção diferenciadas.

“Os municípios não estavam preparados para essa demanda de equipamentos de proteção, por isso, a importância do apoio do Estado e do Ministério da Saúde”, justificou.

Cabe aos serviços municipais de saúde monitorar a população e notificar casos suspeitos no sistema oficial do Ministério da Saúde. Pessoas com sintomas devem procurar atendimento em unidades básicas ou de pronto atendimento. Se a pessoa se enquadrar no critério de suspeita de COVID-19, haverá coleta de amostra para exames no Instituto Adolfo Lutz. Equipes médicas definem se haverá isolamento hospitalar ou domiciliar conforme cada caso.

No encontro desta quinta, o secretário estadual apresentou os principais sintomas (febre, tosse e coriza) e as complicações da doença. O período de incubação do vírus pode chegar a 14 dias, após o contato com alguém infectado. A transmissão pode ocorrer, em média, sete dias após o início dos sintomas.

Germann reforçou a importância da higiene pessoal para evitar a disseminação do vírus. São medidas simples como lavar bem as mãos e antebraços; não compartilhar objetos de uso pessoal; cobrir tosses ou espirros, preferencialmente com lenço descartável ou os braços; manter distância de dois metros se perceber alguém tossindo ou espirrando.

Além do presidente Marcus Melo, o prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro participou da reunião sobre o coronavírus. Os demais municípios foram representados pelos secretários e técnicos da saúde.

0 visualização