Design sem nome (1).png

Jornal do Povão

Aqui Você Faz a Diferença

  • Hiago Salesópolis

Alto Tietê vence luta: Estado descarta pedágio na Mogi-Dutra



Direção do CONDEMAT comemora anúncio e atribui vitória à união de prefeitos, deputados e sociedade civil. Melhorias na Mogi-Bertioga serão executadas


O presente de Natal chegou antecipado para a região. No início desta noite (22/11), o Governo do Estado comunicou a suspensão da concessão do Lote Litoral e, com isso, está descartado o projeto de instalação de pedágio na Rodovia Mogi-Dutra. Em audiência com a direção do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê, deputados e representantes da sociedade civil, o governador em exercício, Rodrigo Garcia, anulou a proposta de forma definitiva e colocou fim numa luta que se arrasta há mais de dois anos. E o melhor, as melhorias na Rodovia Mogi-Bertioga estão mantidas e serão executadas com recursos estaduais.


A notícia foi amplamente comemorada pelas lideranças, que atribuíram a vitória à união política e da sociedade civil do Alto Tietê. “Esse anúncio, sem dúvida, era o mais aguardado dos últimos tempos e vai permitir que a Região continue a se desenvolver. Mais do que isso, mostra a força do Alto Tietê, que uniu vários segmentos em prol de um objetivo maior. Essa conquista é de todos”, ressaltou o presidente do CONDEMAT, Rodrigo Ashiuchi, prefeito de Suzano, ao lado do prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha.


A proposta de implantação da praça de pedágio na Rodovia Mogi-Dutra foi apresentada em outubro de 2019, dentro do projeto de concessão da Rodovia Mogi-Bertioga para a iniciativa privada. Desde então, o CONDEMAT, deputados, entidades de classe e líderes de bairro têm atuado em várias frentes para impedir o avanço da iniciativa. Audiências, ofícios, carta aberta e muitos protestos foram realizados


Em todas as suas manifestações, a direção do CONDEMAT enfatizou os reflexos negativos que um pedágio na Mogi-Dutra causaria para toda a região, com impacto principalmente para o desenvolvimento de atividades produtivas essenciais para a economia regional, como agricultura e indústria, além de prejudicar os milhares de estudantes e trabalhadores que diariamente usam a via.


“Os prejuízos são muitos e superam qualquer ponto positivo que a proposta poderia ter, ainda mais na atual conjuntura econômica. Além de impactar as atividades já instaladas, um pedágio inviabiliza novos investimentos na região, que tem como alguns dos principais atrativos justamente a localização e logística. É importante que o Governo tenha reconhecido isso e descartado a ideia. Fundamental, ainda, ter mantido os investimentos para a Mogi-Bertioga”, argumentou o presidente Rodrigo.


Além de cancelar a concessão do Lote Literal, o governador em exercício anunciou que as obras nas Rodovias Rio-Santos e Mogi-Bertioga serão viabilizadas pelo Estado. A atualização do projeto da Mogi-Bertioga será contratada já em janeiro.


“A união dos deputados, prefeitos, vereadores e sociedade civil, que trabalharam para que esta proposta de colocar pedágio na Mogi-Dutra não prosperasse, foi fundamental para garantir esse resultado", afirma o deputado estadual André do Prado, coordenador da Frente Parlamentar em Apoio aos Municípios do Alto Tietê, que conta os deputados estaduais Marcos Damasio, Rodrigo Gambale e Estevam Galvão como membros efetivos.


Além deles, participaram da reunião o deputado federal Marco Bertaiolli, o coordenador do Movimento Pedágio Não, Paulo Boccuzzi, além dos secretários da Casa Civil do Estado, Cauê Macris, e de Projeto e Assuntos Estratégicos, Rodrigo Maia, e a assessora do deputado Estevam Galvão, Viviane Strelec.

33 visualizações