Presidente da câmara de Salesópolis vota contra Projeto de Lei do vereador Claudinho

 

O vereador Claudio do Prado Moraes, DEM “Claudinho do Som” apresentou e teve aprovado por 10 votos seu Projeto de Lei que destina 70% dos empregos indiretos para os moradores da Estância Turística de Salesópolis, em caso de uma empreiteira estiver executando trabalhos para a municipalidade.

 

A iniciativa do vereador Claudinho veio em um momento em que a Estância carece de empregos e que irá a muito contribuir par ao desenvolvimento econômico de nossa cidade.

 

Mas infelizmente o presidente da câmara municipal da Estância Turística de Salesópolis, vereador Nilson Satolu Imamura, foi o único vereador a votar contra o Projeto de Lei do vereador Claudinho do Som, ou seja, foi contra a criação de empregos para a população.

 

Em sua tentativa de justificar o voto contra o vereador Nilson disse que: “Eu vou ser contra a este Projeto de Lei, me desculpe o Vereador Claudio, mas este meu olhar é focado pelo lado empreendedor, a parte contratada”.

 

“Se eu tiver uma equipe completa no meu grupo de trabalho, porque eu iria contratar pessoas de fora, ponderando mais a folha de pagamento? É em função destas situações que o meu voto é contra”.

 

Ou seja, o vereador Nilson defendeu e defende apenas os interesses do empregador e não do empregado. A reportagem do JP mais uma vez entrevistou o vereador Claudio do Prado Mores, Claudinho do Som que disse:

 

“Primeiramente eu respeito a opinião do vereador Nilson Satolu Imamura, mas ao mesmo tempo eu acredito que nós políticos temos que pensar no bem estar da população da nossa cidade, procurar fazer o melhor pelo povo, e analisando essa decisão, para mim foi uma indignação, pois eu acredito que o projeto quando ele é bom para todos, principalmente para os munícipes, acho que deve ter o respeito de todos nós políticos e eu acredito que esse projeto deveria ter sido aprovado por unanimidade, porque não gera gastos para os cofres públicos e com certeza somente coisas boas aconteceram através deste projeto”.

 

“Como eu não sou nenhum especialista na área jurídica, fui buscar informações em outras cidades onde esse projeto tramita há mais de 18 anos sendo fiscalizado pelo próprio Tribunal de Contas, então eu não vejo inconstitucionalidade e nós políticos devemos defender a bandeira e defender o interesse da nossa cidade e do nosso povo”.

 

“Então como já havia dito não trará nenhum prejuízo para o município e além disso, mão de obra não especializada é simples, pois estive conversando com empresários que prestam serviços para a cidade de Ilha Bela e deixaram bem claro que os gastos com funcionários de uma cidade para outra, mesmo que tenha a aplicação desta Lei, acaba tendo um custo mais baixo do que se ele tivesse que levar todos seus funcionários, que gera gastos com o transporte, locação de residência e alimentação”, concluiu o vereador Claudinho.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload