Projeto NOVOS HORIZONTES – CONVERSANDO A GENTE ENTENDE


Na ultima sexta-feira, dia 30 de novembro, os alunos do 3° ano do ensino médio da EE Olga Chakur Farah participaram de um Workshop de encerramento do projeto NOVOS HORIZONTES – CONVERSANDO A GENTE ENTENDE, em parceria com o CEJUSC da Estância Turística de Salesópolis.

Maria Helena Almeida Moraes, gestora do CEJUSC e uma das responsáveis pela realização do projeto, em entrevista a equipe do Jornal do Povão, disse:

O CEJUSC, é um setor do Tribunal de Justiça que por meio do seu perfil cidadão, desenvolveu em parceria com a escola EE Olga Chakur Farah, um projeto na área judicial, chamado NOVOS HORIZONTES- CONVERSANDO A GENTE ENTENDE, onde o objetivo é dar vi-start para que o dialogo, a partir de agora, seja a ferramenta utilizada para a colaboração na formação dos alunos, desde o ensino fundamental.

Neste ano de 2018 o projeto piloto foi executado junto aos alunos do 3° ano do ensino médio, e nós fizemos uma parceria com a escola, e o mediador escolar Daniel, a coordenadora da sala de leitura professora Egle e o diretor Acadêmico Ricardo e colocamos o projeto em ação.

Os próprios alunos organizaram um coffee break para encerrar esse projeto piloto, que tem a pretensão de dar continuidade em 2019, e não só para o aluno do terceiro ano, mas também para os alunos do ensino fundamental, porque a gente entende que o dialogo é a ferramenta talvez mais importante na formação do cidadão.

Então conversando a gente entende, conversando a gente busca informação, conversando a gente amplia o nosso entendimento, conversando e trocando a gente pode dizer como sente, a gente pode contestar, pode discordar, a gente anda pra frente, a gente tem essa questão do olhar positivo, do olhar prospectivo, do olhar otimista que inclusive é à base do setor de trabalho, que o CEJUSC, é a base dos centros judiciários, de solução de conflitos, e trazer o diálogo como uma ferramenta de você olhar o daqui pra frente, o que eu faço pra ser feliz, que eu faço pra ser uma pessoa inteira completa, o que eu faço para ser o protagonista da minha vida, o que eu faço para poder interagir com o outro de forma digna, então o CEJUSC tem essa característica, e nós acreditamos que com as palavras, que inclusive o Professor Luis de geografia nós disse que todos estão de parabéns, pois nunca houve a participação do Tribunal de justiça, da comunidade dentro da escola.

O grêmio acadêmico e a própria escola se envolvendo dessa maneira com seus alunos, trazendo todo mês profissionais de diversas áreas, palestrantes que vieram contar suas experiências, e mostrar que ele não tá sozinho e eu acredito que ele realmente não deva estar sozinho, pois todos nós somos responsáveis e corresponsáveis pelo que a gente quer do futuro, então se a gente coloca expectativas nos nossos jovens, que serão o nosso futuro, a gente também tem que trabalhar com eles hoje e trazer o máximo de oportunidade para que eles realmente possam se desenvolver de uma forma saudável, para que esse desenvolvimento dentro do pensamento sistêmico mude.

E durante o Workshop de encerramento foi oferecido possibilidades de experiência em 4 em quatro oficina, com temas diferentes:

Então no primeiro tempo de aula, os alunos participaram de uma oficina em conjunto, todos os alunos do 3º ano Matutino fizeram parte de uma oficina em dinâmica de grupo, que hoje é uma atividade bastante utilizada em grandes empresas em processo de recrutamento seleção, bem como também a dinâmica de grupo que na verdade funciona em vários outros ambientes, até mesmo em um grupo onde há a necessidade de desenvolver um tema, e por isso algumas universidades desenvolvem aulas utilizando esse instrumento.

No segundo tempo de aula os alunos foram divididos em quatro oficinas, a primeira foi uma oficina conduzida por mediadoras escolares, que teve por objetivo trazer essa experiência enriquecedora, do com o diálogo, conversando a gente entende e foi uma roda de conversa onde trouxe o tema da felicidade, a escolha pela felicidade, o ensino médio já acabou e o que eu faço ? E com isso foi desenvolvido o trabalho nesta oficina para se focar um pouquinho em o que eu faço daqui pra frente.

A segunda foi uma oficina que falou sobre e o mundo violento, vamos contribuir mais para o melhor, então é um grupo chamado grupo metanoia, que leva a cultura da paz para fora do tribunal de Justiça, e a mediação, a conciliação não é uma prática de direitos autorais do Tribunal de Justiça, e sim uma prática em que todos nós temos competência e capacidade para exercer, então essa oficina ela trás essa reflexão, o quanto nós somos capazes de sermos conciliadores e mediadores.

A terceira oficina falou sobre o novo mercado de trabalho, que mudou, e tem se apresentado diferente e ele tem exigido que nós inovemos, que nós todos sejamos mais empreendedores, até tenho jargão que me atrevo a dizer, antigamente a gente falava engenheiro que virou o kibe, o médico que virou o pastel de feira, porque nesse momento em que o mercado de trabalho esta exigindo para ser criativo e temos que nos virar nos 30, e nisso surge a questão do empreendedorismo das Startups e essa oficina falou e mostrou um pouco mais sobre isso para os alunos.

E a ultima oficina que trouxe o pensamento sistêmico como uma forma inclusive de impulsionar a carreira, a escolha da profissão, o pensamento sistêmico que nos coloca dentro de um sistema, e nós não somos únicos, nos não vivemos sozinho, nós vivemos em grupo.

Então resumidamente, o tribunal de justiça pensa que é a melhor justiça é aquela que a gente constrói junto, é aquela em que “eu” participo da construção, da solução dos problemas que são naturais na vida, e com esse projeto junto hoje escola EE Olga Chakur Farah, eu quero agradecer a colaboração de alguns parceiros que fizeram com que isso acontecesse e um desses parceiros é o restaurante Nhá Luz que vem não só nesse projeto mais em outros projetos que o CEJUSC desenvolve, sendo sempre nosso parceiro , acolhendo a gente, a esses instrutores que vieram de Campinas, São Paulo, Praia Grande e trabalharão voluntariamente, trazendo essa possibilidade de juntos tentarmos transformar o mundo em que a gente vive, e nós fazemos parcerias aqui com pessoal de Salesópolis que acolheram essas pessoas, que receberam essas pessoas, que ofereceram um conforto para elas.

Quero parabenizar também aqueles que palestraram para esses alunos, mostrado e trazendo a informação necessária para que eles pudessem conhecer a profissão e auxiliados no processo de decisão da escolha de profissão e o que ser quando crescer.

JORNAL DO POVÃO 

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Google+ Social Icon
  • Twitter Social Icon

Jornal do Povão - Aqui Você faz a Diferença