River/S.E.S. perde para Defensores e está fora do torneio na Bolívia

16/12/2017

 

O River/S.E.S. perdeu para o Defensores por 2 a 1 e deu adeus ao sonho de se tornar pela primeira vez campeão internacional.

 

Hoje foi um jogo atípico para o River/S.E.S. que começou perdendo empatou o jogo e teve inúmeras chances de sair com  uma vitória tranquila, mas errou nas finalizações.

 

E como diz o ditado quem não faz toma, aos 46 do segundo tempo ao juiz da partida marcou uma penalidade máxima contra o River/S.E.S. o que acabou definitivamente com o sonho dos jovens garotos de se tornarem campeão internacional.

 

Marcaram os gols para o Defensores: aos 8 minutos do primeiro tempo, Thomas e de  pênalti aos 47 do segundo tempo Cristhian e para o River/S.E.S. o jogador Sony Anderson aos 33 minutos do primeiro tempo.

 

Mas os meninos fizeram o que ao alcance deles dentro de campo e se a bola não entrou no gol adversário foi por dois motivos, ou seja, cansado por inúmeras partidas seguidas e pela falta de sorte.

 

O cansado pode ser creditado a vários fatores, cansaço da  viagem de 2.214 km entre a Estância Turística de Salesópolis e El Torno na Bolívia, segundo Google Maps.

 

Pelo fato de chegarem à cidade de Corumbá na quinta-feira, 8 de dezembro no período da tarde e à noite realizarem um jogo amistoso contra o Corumbaense e logo em seguida seguirem viagem até a El Torno.

 

Chegando em El Torno enfrentaram um calor acima de 35 graus e a sorte dos meninos a estreia que estava marcada para o sábado foi adiada para o domingo, 10, visto que com a desistência de dois times a tabela foi toda reformulada.

 

Mesmo assim treinaram no sábado e estrearam contra dos donos da casa onde venceram por um a zero o que mostrou que o time mesmo cansado da viagem estava entrosado e poderia seguir firme ao título.

 

Na segunda-feira, 11, enfrentaram o time do Quebracho e após a goleada por 5 a 1 tudo indicava que o time do River/S.E.S. iria com certeza chegar a final.

 

Mas um detalhe já estava exposto aos olhares de todos aqueles que entende de futebol, principalmente os chamados “olheiros”.

 

O técnico Giva simplesmente ignorou os jogadores que não fossem do River ou seja, para que todos entenda, pois tinham jogadores do Rio de Janeiro, Teresópolis e da Estância Turística de Salesópolis.

 

Na terça-feira, 12, o jogo contra o Defensores mostrou o autoritarismo do técnico Giva que mesmo ganhando de 2 a 0 permitiu a virada do time adversário e sequer tomou atitude a fim de realizar mudanças com jogadores do Rio de Janeiro experientes que poderiam fazer a diferença e o resultado final foi uma derrota ridícula por 3 a 2.

 

No jogo válido pela semifinal contra o Blooming o time do River/S.E.S. só não perdeu graças ao goleiro Vinícius que defendeu um pênalti.

 

Mais uma vez o técnico não aproveitou nenhum jogador seja do Rio de Janeiro ou da Sociedade Esportiva Salesopolense, revoltando a todos que estavam assistindo, pois basta o treinador Giva olhar depois nos comentários e ver a situação que ele colocou o time e os meninos que foram apenas excursionar na Bolívia e simplesmente não tiveram oportunidade alguma.

 

E nesta sexta-feira, 15 de dezembro a história se repetiu mais uma vez com um time cansado e jogando em uma temperatura de 35 graus novamente, conseguiu segurar o empate até os 47 minutos do segundo tempo, quando o juiz marcou penalidade e acabou com qualquer sonho que ainda restava entre todos.

 

Nos bastidores do River/S.E.S. muitas coisas desagradáveis aconteceram a fim de haver brigas e discussões entre os comandantes na frente dos jogadores o que pode ter causado uma indigestão futebolística em todos.

 

O técnico da Sociedade Esportiva Salesopolense Paulinho Paiakãn, fez a diferença junto aos jogadores excluídos pelo técnico Giva, pelo menos levando os meninos para alguns poucos momentos de lazer em Santa Cruz de La Sierra e El Torno.

 

Se não fosse por isso com certeza as coisas teriam sido pior do que já estava e a reportagem do JP está apenas aguardando a chegada da delegação da Bolívia para uma entrevista ao vivo com Paikãn para dar todos os detalhes dessa que foi uma experiência que teve dois lados, boa e péssima, não por perder, mas por acontecimentos desagradáveis.

 

O que aconteceu na Bolívia vai servir de lição e experiência internacional para os jogadores, principalmente os excluídos, a comissão da Sociedade Esportiva Salesopolense e aqueles que se dedicaram por uma causa nobre que era e foi levar o nome da Estância Turística de Salesópolis para outro país.

 

O Jornal do Povão cumpriu com seu compromisso com seu colaborador que foi a cidade de Santa Branca, na pessoa do prefeito Celso Simão e com os nossos internautas no melhor da transmissão mesmo com a deficiência da internet na Bolívia.

 

Aqui encerramos deixando nossos agradecimentos a todos os internatas do Brasil e do mundo que durante 10 dias acompanharam nossas transmissões ao vivo desde a partida na Praça Padre João Menendes até a chegada em El Torno.

 

Aos profissionais que trabalharam conosco resta agradecer e dizer que não fizeram apenas o seu melhor, mas desempenharam um trabalho árduo e complicado, principalmente durante os três primeiros dias de estadia em El Torno.

 

Mas com a chegada do técnico da Sociedade Esportiva Salesopolense Paulinho Paiakãn tudo mudou e mudou para melhor, pois alguns que foram tratados com indiferença e humilhações tiveram seus trabalhos reconhecidos.

 

Assim diz o Soberano Senhor: Tire o turbante e a coroa. Não será como antes: Os humildes serão exaltados, e os exaltados serão humilhados. Ezequiel 21:26

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload