GREVE DOS CAMINHONEIROS: Normalidade volta a Região do Alto Tietê

 

Após dez dias de greve dos caminhoneiros no Alto Tietê a situação nas estradas voltou ao normal no início da tarde de quarta-feira, 30 de maio.

 

A única cidade que ainda mantinha a paralisação dos caminhoneiros e sem bloquear a via era a Estância Turística de Salesópolis, mas que no final da manhã com a chegada de reforço da Polícia Militar de Mogi das Cruzes e conversando com os motoristas chegou a um acordo e o movimento foi encerrado.

 

Mas em virtude desse acontecimento um grupo de caminhoneiros e seus familiares seguiram até a prefeitura municipal realizando um protesto pacífico solicitando explicações do prefeito  Vanderlon Oliveira Gomes, PR sobre o fim da paralisação.

 

Foi enviada uma secretária do prefeito que conversou com os manifestantes que decidiram aguardar a presença do prefeito Vanderlon que se encontra em uma reunião com os comerciantes em seu gabinete.

 

Antes de ir ao encontro do grupo de caminhoneiros o prefeito Vanderlon juntamente com o Capitão do 17º Batalhão da Polícia Militar de Mogi  das Cruzes, Snay Moreira Nanni, fizeram um pronunciamento a população falando sobre o fim da greve dos caminhoneiros.

Veja:  (https://www.facebook.com/jornaldopovao9/videos/2064104477196355/).

 

Logo em seguida o prefeito Vanderlon foi ao encontro dos caminhoneiros na Praça Padre João Menendes onde conversou sobre o fim da paralisação e explicou que em momento algum esteve contra o movimento, mas os caminhoneiros queriam mesmo era poder contar com a presença do prefeito durante os dias em que estiveram em protesto na entrada da Estância.

 

O momento mais emocionante foi quando eles disseram que estavam lutando não somente por melhores condições de trabalho, mas sim por todos, pois são os grandes responsáveis pela escoação de toda a produção do Brasil.

 

Não contendo a emoção muitos deles choraram e lembraram-se dos momentos que passaram frio durante todos os dez dias que permaneceram unidos e agradeceram a todos que levaram alimentos e foram solidários com o movimento.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload